segunda-feira, 30 de julho de 2018

Metade dos professores do Brasil não recomenda a própria profissão, diz pesquisa


Metade dos professores brasileiros não recomendaria a própria profissão a um jovem, por considerá-la desvalorizada. De acordo com a pesquisa Profissão Docente, realizada pelo Ibope Inteligência em parceria com a rede Conhecimento Social, a maioria (78%) dos professores disse que escolheu a carreira principalmente por aspectos ligados à afinidade com a profissão. Entretanto, 33% dizem estar totalmente insatisfeitos com a atividade docente e apenas 21% estão totalmente satisfeitos.

Segundo a Agência Brasil, o levantamento entrevistou 2.160 profissionais da educação básica em redes públicas municipais e estaduais e da rede privada de todo o país, sobre temas como formação, trabalho e valorização da carreira. A amostra respeitou a proporção de docentes em cada rede, etapa de ensino e região do país, segundo dados do Censo Escolar da Educação Básica (MEC/Inep).

Para valorização da carreira, os professores apontam como medidas mais importantes a formação continuada (69%) e a escuta dos docentes para a formulação de políticas educacionais (67%). Eles consideram urgente a restauração da autoridade e o respeito à figura do professor (64%) e o aumento salarial (62%). A remuneração média dos professores no Brasil atualmente, segundo a pesquisa, é de R$ 4.451,56. A maioria dos docentes (71%) tem a profissão como principal renda da casa e 29% afirmam ter outra atividade como fonte de renda complementar.



Bahia Notícias

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››