sexta-feira, 4 de setembro de 2020

Medidas de enfrentamento ao coronavírus custam R$ 605 bi aos cofres públicos

 


O Ministério da Economia atualizou para R$ 605 bilhões o impacto das medidas adotadas pelo governo federal para enfrentar a crise do novo coronavírus. O déficit passou para R$ 866,4 bilhões, ou 12,1% do PIB.

Há cerca de um mês, o custo estava em R$ 526 bilhões, com rombo previsto de R$ 787 bilhões, o equivalente a 11% do PIB. As informações são da Folha de S.Paulo.

De acordo com a publicação, a maior parte das medidas se referem às despesas, que demandam R$ 584,3 bilhões. O auxílio emergencial demanda R$ 321,8 bilhões, após anúncio de prorrogação por mais quatro meses.

Outras medidas caras às contas públicas são as destinações do Tesouro ao Pronampe, programa de crédito para empresas que custa R$ 27,9 bilhões, e o programa de suspensão de contratos de trabalho ou redução de salários, que custa R$ 17 bilhões.

Outro impacto diz respeito também às receitas. O governo abriu mão de R$ 20,6 bilhões com corte de IOF sobre crédito, que elimina R$ 14,1 bilhões da arrecadação, e com a redução de impostos sobre equipamentos hospitalares, que impacta em R$ 3,2 bilhões. Bahia.ba

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››