segunda-feira, 24 de agosto de 2020

Estudo de instituto de pesquisa indica que taxar refrigerantes geraria R$ 2,4 bilhões ao ano

 

Foto: Reprodução/Wikipedia
Foto: Reprodução/Wikipedia

 

Enquanto correm às discussões sobre a reforma tributária, ONGs têm se mobilizam para elevar tributação de produtos considerados supérfluos.

Um estudo feito pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), por exemplo, sugere que o governo pode aproveitar a reforma para rever os impostos que incidem sobre bebidas adoçadas, como refrigerantes e sucos industrializados.

Um aumento de 20% na tributação poderia gerar um ganho de R$ 2,4 bilhões por ano e beneficiaria produtores de leite e de água mineral, diz o estudo.

ONGs que militam pela alimentação saudável, como a ACT Promoção da Saúde, afirmam que a tributação extra é recomendada pela Organização Mundial de Saúde e pode ajudar bancar despesas do SUS.

As entidades estão reunindo dados que pretendem enviar os dados a membros da comissão da reforma tributária, segundo informações da coluna Painel, da Folha de S.Paulo.


Bahia.ba*

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››