quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Huck é chamado de ‘próximo presidente’ e defende Brasil mais bem representado

Gravação do quadro The Wall, do programa Caldeirão do Huck, com o apresentador Luciano Huck
Gravação do quadro The Wall, do programa Caldeirão do Huck, com o apresentador Luciano Huck

Luciano Huck atraiu a maior parte das atenções nesta quinta-feira (23) durante o painel que participou sobre os protestos de rua na América Latina na reunião do Fórum Econômico Mundial em Davos, segundo o jornal Folha de S. Paulo.
De acordo com a publicação, no momento em que discorria sobre desigualdade, educação e ambiente, o apresentador foi chamado em voz alta ao menos duas vezes de “próximo presidente do Brasil” — pelo escritor e youtuber brasileiro Raiam Santos e pela secretária executiva da Comissão Econômica para América Latina e Caribe da ONU, Alicia Bárcena Ibarra.
Huck, que é visto como potencial candidato à Presidência em 2022, desviou do epíteto, conforme a Folha. Indagado após o evento sobre os temas que abordou no almoço e as ações do Brasil na área, disse que o Brasil merecia representação melhor no exterior “O Brasil precisa ser mais bem representado, para além da economia”, afirmou.
“Quando você lê a carta do professor [Klaus] Schwab desta edição do Fórum Econômico, e ela claramente aponta para discutir ideias que possam gerar crescimento econômico com redução da desigualdade, eu adoraria poder ver o país bem representado em painéis além dos painéis econômicos”, afirmou, aludindo ao ministro Paulo Guedes (Economia), celebrado por investidores no Fórum.
“Sem dúvida a gente entregou números importantes do ponto de vista econômico, mas a gente estava fora dos painéis de educação, desigualdade e Amazônia.”

Bahia.ba*

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››