segunda-feira, 11 de maio de 2020

Regina Duarte perde apoio de aliados após entrevista à CNN, diz jornal

Regina Duarte minimiza ditadura e interrompe entrevista à CNN (Imagem: Reprodução/CNN)

A entrevista da secretária Regina Duarte (Cultura) à CNN Brasil fez com que aliados da atriz na classe artística jogassem a toalha. Pessoas próximas a ela, e que até então apoiavam a sua permanência na pasta, dizem que não têm mais como defender sua gestão.
As informações são da colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.
Na última quinta-feira (7), duraentrevista à CNN, Regina minimizou a ditadura no Brasil (1964-1985) e encerrou a conversa ao ser confrontada com críticas feitas pela atriz Maitê Proença.
Sobre as torturas e mortes no período militar, disse: “Cara, desculpa, na humanidade não para de morrer gente. Se você falar de vida do lado tem morte”.
“Stálin, quantas mortes. Hitler, quantas mortes?”, continuou.
“Não quero arrastar um cemitério de mortos nas minhas costas, sou leve, to viva, estamos vivos. Vamos ficar vivos. Por que olhar para trás? Não vive quem fica arrastando cordéis de caixões”, afirmou a atriz.
Neste momento, Regina disse que havia certa “morbidez” devido à pandemia do novo coronavírus.
“Eu acho que tem uma morbidez nesse momento. A Covid-19 está trazendo uma morbidez insuportável.”
Indagada por ter silenciado diante da morte de diversos artistas desde que assumiu a secretaria, em março deste ano, Regina disse que não queria fazer um “obituário” na pasta.
Em seguida, ficou irritada quando a emissora mostrou um vídeo em que Maitê Proença lhe cobra soluções para a classe artística em meio à pandemia.
“O que você ganha com isso? Quem é você que está desenterrando uma fala da Maitê [Proença] de dois meses atrás? Eu não quero ouvir, ela tem o meu telefone. Eu tinha tanta coisa para falar, vocês estão desenterrando mortos”, disse Regina, colocando fim à entrevista.

Bahia.ba*

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››