terça-feira, 23 de outubro de 2018

Questionário vai ajudar a desvendar causas de doença misteriosa na Bahia




Um questionário elaborado por infectologistas e epidemiologistas vai ajudar a desvendar a causa da doença misteriosa que já fez 90 vítimas em Salvador e Região Metropolitana. Ao menos, essa é a expectativa da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que também analisa exames de sangue e urina coletados de pessoas infectadas, além da perícia de insetos e ácaros colhidos no condomínio Greenvile, no bairro de Patamares – onde os casos estão concentrados desde agosto.
Representantes da SMS e especialistas do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) na Bahia, e do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) decidiram, em reunião realizada na tarde desta segunda-feira (22), aplicar uma pesquisa para cruzar informações acerca do estilo de vida dos pacientes e, assim, tentar compreender a origem da doença, que tem como sintomas manchas vermelhas pelo corpo, especialmente braços e pernas, além de coceira.
Conforme o professor da Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC) de Salvador, o infectologista Antônio Bandeira, que integra o grupo responsável pela investigação da doença, o questionário vai desvendar o mistério.
“Sem dúvida [o questionário] vai ser essencial para chegarmos a uma conclusão. Nós trabalhamos com três frentes, são elas a análise do material colhido no paciente, o estudo dos insetos [lepidópteros] e acaros [gênero pyemotes], além do questionário. Há a suspeita de que possa ser algo ambiental, já que a manifestação dos sintomas tem a ausência de febre e dor de garganta – o que é comum quando se trata de arboviroses”, explicou o professor.
Segundo Bandeira, autor de algumas das perguntas que devem compor o questionário da SMS, há um interesse em saber quais são os hábitos e estilo de vida de cada pessoa infectada, já que, ao menos nos 79 casos investigados pelo município, todas as pessoas moram no mesmo condomínio.
“É uma pesquisa extensa, de duas páginas, que deve ser começado a ser aplicado ainda esta semana. São muitas questões que vão além do que elas sentem com a doença, em si, mas o que elas costumam fazer e os lugares que frequentam”, completou o professor.
Investigação
Conforme a coordenadora do Cievs, a epidemiologista Cristiane Cardoso, pelo menos 500 casas da região de Patamares já foram visitadas para tentar identificar e avaliar outras pessoas infectadas, e causa do “surto de dermatose”.
“Desde que tomamos conhecimento dos episódios, em 06 de outubro, prontamente mobilizamos a equipe do Cievs e CCZ para iniciar o processo de investigação. Também coletamos amostras para análise laboratorial e alguns resultados já deram negativos para dengue, zika e chikungunya”, explicou Cristiane.
A infectologista destacou que agentes de combate às endemias instalaram armadilhas para captura de mosquitos Aedes aegypti e albopictus, principais transmissores de arbovírus no Brasil, além de outros de importância médica como carrapatos, pulgas e ácaros.
“Diante dos resultados preliminares encontrados, observamos a existência de um surto de dermatose a esclarecer em condomínios de Patamares, ocasionado provavelmente por um artropode de difícil visualização, cujos esforços para identificação encontram-se em andamento”, acrescentou.
O Cievs informou, em nota, que já emitimou uma “Nota Técnica” para que os estabelecimentos de saúde possam notificá-los se pacientes chegarem nas unidades com o perfil clínico sem diagnóstico conhecido.
Ainda de acordo com a coordenação do Cievs, os serviços municipais ainda não foram notificados sobre o surgimento de episódios em outras localidades da capital.
CORREIO Gráficos
CORREIO Gráficos
A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), no entanto, já havia informado que outros 11 casos  foram notificados na capital, em oito bairros distintos, além de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana. São eles Canabrava, Canela, Pau da Lima, Fazenda Grande II, Jardim das Margaridas, Dom Avelar, Cajazeiras e São Marcos. Dos 79 casos do Greenvile, a Sesab informou só ter identificado seis.
“Informamos que, até o momento, foram identificados os casos com mesmos sinais e sintomas: prurido e exantemas. Ressaltamos que nos pacientes onde foram coletadas as amostras, os resultados foram negativos para arbovírus”, concluiu a pasta.
Sem pânico
Embora ainda não estejam claras origem e consequência da doença misteriosa, o infectologista Antônio Bandeira afirmou que não há motivo para que a população de Salvador e Lauro de Freitas entre em pânico. Segundo ele, não existe registro de pessoas internadas em decorrência dos sintomas, ou qualquer caso de morte relacionado aos 79 registros feitos pela SMS.
São sintomas simples. Pode até assustar em alguns casos, no sentido visual, mas não temos nenhum óbito associado. É algo que vai passar naturalmente em algum momento, então não há mesmo o que temer. A medicação também é feita à base de anti-inflamatórios”, garantiu o professor.
Bandeira acrescentou, no entanto, que as pessoas, especialmente os moradores do Greenville – que tem 18 torres e reúne 1.622 apartamentos – devem usar repelentes diariamente. “E é imprescindível que seja um repelente à base do DEET, uma substância que também tem efeito contra ácaros, já que ainda não temos o causador”, salientou.
O condomínio que concentra os casos possui uma área verde de 305 mil m² dentro da própria estrutura, e está localizado ao lado do Parque Metropolitano de Pituaçu, um dos principais pontos da cidade com remanescentes de Mata Atlântica.
*Correio

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››